18 de out de 2007

Algumas ideias em Bunkai

Esta semana pesquisava umas Bunkais na Net… apesar de já ter falado nisto é sempre interessante voltar a falar.

Existem algumas ideias em relação à interpretação dos movimentos dos katas (Bunkais, se assim lhes podemos chamar)

A primeira é referente à interpretação biomecânica do movimento e nesta teoria, a aplicação segue estritamente o movimento da Kata.

A segunda é referente ao percurso de um Kamae para outro e nesta ideia o que interessa analisar é o movimento intermédio de um Kamae para outro.

A terceira é o Kamae em si, não importando o percurso do movimento técnico, mas sim a forma como se finaliza o movimento.

Apesar de poder parecer um pouco confuso na teoria, na prática é muito simples. Se calhar esta é a explicação do porquê das diferentes execuções técnicas de uma Kata entre linhas diferentes, ou mesmo entre estilos.

Cada vez me convenço mais que Kata é sinónimo de defesa pessoal, não no conceito de base, Ippon Kumite/yakusoku Kumite, mas no seu sentido lato.

Cada vez acredito mais, que o Karate em geral é um sistema de defesa pessoal altamente codificado, com imensos ingredientes à mistura. Uma forte influência das artes marciais Chinesas, com uma forte componente de Te, quiçá com Sumo de Okinawa, que muitas vezes não é compreendida ou mesmo conhecida pelo público em geral.

Uma coisa é certa, as formas que fazemos hoje em dia não são as mesmas que se faziam na China, provavelmente nem nunca foram e se calhar as formas que actualmente fazemos são o resultado de uma pesquisa profunda de grandes génios das artes marciais.

E apesar de se poder apregoar aos sete ventos que se faz esta Bunkai porque esta é a verdadeira interpretação, esta afirmação só pode ser verdadeira porque foi aquela que foi transmitida do indivíduo A para o B e provavelmente porque foi aquela a interpretação que o 1º Mestre achou mais indicado para o então aluno.

“Keep an open mind”