26 de jun de 2007

Campeonato Nacional AKDK

Este fim-de-semana foi dedicado a duas actividades importantes:
No Sábado foi dia de Campeonato Nacional da AKDK;
No Domingo foi a festa de final de ano da minha filhota.

Comecemos por Domingo, depois de uma viagem de 1 hora e tal para a quinta “Cantar de Galo” e de um dia bem passado a passear, a fazer slide, a caçar tesouros, a comer todo o tipo de porcarias que calham à frente, não há nada melhor do que regressar a casa. Certo?
Certo…
No entanto, se o carro simplesmente parar sem razão aparente, o que fazer? Alguns de vocês vão responder, liga para a Marta, pronto, tudo bem, mas, e se o táxi demora 2 horas para chegar? E depois se alguém chega à conclusão que o táxi não pode levar 3 adultos e 2 crianças? Qual é a resposta? Ir com o amigo da Marta, no reboque, que por acaso é Bosniáco e não fala puto de Tuga. Moral da história: aqui o “Je” vai andar uns dias de Jaguar.
No entanto não comecem a pensar que tenho uma associação ou que ando a fazer uns biscates na estrada, entenda-se “Stops” e não outras interpretações de cariz sexual.

No dia anterior, tinham respondido ao apelo de diversos instrutores, cerca de 250 atletas membros da AKDK, para a participação no 1º Campeonato Nacional da AKDK.
O que há para dizer de um campeonato onde o nível técnico em geral foi muito acima da média?
Nada.

Apesar de estar envolvido na direcção da prova e provavelmente ter sido a cara da organização, existe uma pessoa que esteve por trás disto tudo, o Sensei Álvaro Silva. A aquisição dos prémios, a realização do sorteio, a escolha do lugar, e tudo e tudo, foi da autoria dele, por isso se não gostaram das medalhas e das taças, a culpa foi dele.

Apesar de ter sido uma maratona em termos de prova, todos os atletas aguentaram estoicamente até ao final, proporcionando a todos os presentes excelentes demonstrações de Kata e excelentes combates.

Em termos de arbitragem creio que o balanço foi bastante positivo. Muitos dos cintos negros presentes não têm cursos de arbitragem (estamos a tentar providenciar os mesmos), no entanto devido à experiência acumulada nestes anos de prática, não deixaram nada a desejar nesta matéria.

De salientar a ajuda de familiares de atletas nas mesas. Foram uma peça fundamental para o bom andamento da prova. O meu muito obrigado.

Esta prova apenas veio dar mais alento às minhas convicções quando tomei uma posição: o engrandecimento técnico do meu Karate, os excelentes momentos passados junto dos meus companheiros instrutores e o poder proporcionar aos meus alunos boas experiências desportivas.

Em termos pessoais, digamos que o Campeonato não me correu mal.
A Inês foi campeã Nacional AKDK de Kata, a Rita foi campeã em Kumite. O David ficou em 3º lugar em Kumite e o Gonçalo ficou em 3º lugar (a ver comboios a passar em Campolide).
Deu para ver que afinal o Kyusho resulta, que o diga o Daniel, porque quando estamos com dificuldades em resfolegar, não há nada melhor que um empurrão em SP21.
Creio que estou no caminho correcto…
No dia 30 de Junho vai realizar-se um encontro de Kyusho, das 17.30 às 20.00 nas instalações do Clube Atlético de Queluz.

Das 20.00 às 20.30, a sessão será apenas para membros da Kyusho Internacional.