11 de set de 2013

Influencia do treino de hoje...

Falta de inspiração, paciência, "what ever"... A verdade é que há mais de um ano que estava ausente deste espaço virtual, por isso, eis que estou de volta...

Cá estamos nós no inicio de mais uma nóva época (2012/13).

Todos nós (ou quase todos) frequentámos os cursos de treinador da FNK-P e um dos temas dados/abordados é a planificação de épocas desportivas...

Este tema faz sentido quando vemos o Karate de uma forma desportiva. No entanto, se tivermos uma abordagem "marcial", será que faz sentido planearmos aulas?

Sim, claro (na minha humilde opinião). Todos vão dizer que sim, pelo menos se forem minimamente inteligentes, para não fazerem figura de parvos e não darem um ar de desorganizados.

Uma das grandes questões que eu coloco à maior parte das pessoas é muito simples...

Qual vai ser a influencia do treino de hoje...
Daqui a seis meses?
E daqui a um ano?
E daqui a quatro anos?

Muitos dos instrutores vão dizer que daqui a um mês não sabem se o aluno vai continuar, quanto mais daqui a quatro anos...

Sim, é certo que não sabemos, mas temos de partir do pressuposto que o aluno que começa hoje pode ser um potencial cinto negro, ou mesmo um futuro instrutor. Agora, cabe ao instrutor não criar demasiadas expectativas em relação ao aluno (esta é que é a parte mais difícil... ).

Na minha opinião o treino deve ser estruturado em função de objectivos, quer sejam competitivos, quer sejam "marciais". Uma competição ou um exame de graduação na minha opinião são exactamente a mesma coisa. São eventos pontuais, onde é avaliada a capacidade técnica do executante.

Podemos ter em conta o pico de forma do executante, se objectivo for uma prova desportiva, definitivamente. No entanto se for um evento "marcial" não acredito que seja preciso planear ou ter em conta esse pico de forma, pois e como diz um amigo... "O Karate é uma prova de resistência, não uma prova de velocidade".

A grande questão que foi colocada em cima, vê-se muitas vezes no treino de crianças, os miúdos fazem montes de jogos para se divertirem, mas qual é o "transfer" desse jogo para a evolução do aluno?
Muitas vezes nenhum.

Moral da história... O treino (sessão de treino) deve ser um evento estruturado de forma inteligente, não deve ser mais um treino igual ao outro, vulgo " encher chouriço".

O treino de Karate deve ter em vista a evolução do seu praticante (aqui incluo-me a mim próprio), o Karate que um Kyu faz não é/devia ser o mesmo de um Dan, da mesma forma que o Karate de um Dan não devia ser o mesmo de um instrutor....

Just my thoughts