13 de dez de 2007

NACIONAL FNK-P CAD. JUN 2007

Ora bem…

No dia 8 realizou-se o Campeonato Nacional da FNK-P e lá peguei na malita de cartão, flyers do Kyusho e no belo do Sensei-mobile e levei a Inês ao dito Campeonato.

Apesar de não ter corrido da melhor forma cá para os meus lados, tive a opurtunidade de observar o desenrolar da prova por dentro e por fora.

Aqui vão umas criticas, bem, não são bem criticas, são observações construtivas:
- Área de aquecimento (não existiu);
- Área separadora da zona de competição da zona de chamada (não existiu);
- O pavilhão não tinha as melhores condições;
- Não houve grande publicidade a promover a prova;

Enfim, sei que o pavilhão não era para ser aquele, foi arranjado para colmatar uma falha da autarquia.

Os elementos Federativos esforçaram-se e na minha opinião creio que estão a melhorar.

Agora…

Falava eu com uma serie de pessoas ligadas ao Karate Nacional e chegámos a uma conclusão: o problema do Karate Nacional é o nível!

Quanto maior é o nível de importancia de um indivíduo, maior é a sua responsabilidade perante a sociedade/comunidade.

Como é que podemos exigir a um aluno que fale de uma forma educada para com os outros instrutores, se existem instrutores que falam de uma forma arrogante para toda a gente.

Como podemos exigir a um aluno que seja humilde, quando os instrutores que o rodeiam são prepotentes.

Bem, uma coisa podemos exigir aos alunos: que levem a proteção de boca, pois se os árbitros podem arbitrar combates com pastilhas na boca, eles podem combater com a protecção na mesma.

Por hoje está tudo, não meto mais água.