3 de jun de 2012

Técnica e truques.


Cá estou eu mais uma vez….

Muito trabalho, algum treino pessoal e a dar muito treino …

Depois das viagens a Itália e França, foram as vezes de ir a Gaia, Cascais, Lisboa e já tenho mais treinos e seminários agendados. Este ano se calhar vou arrancar com um grande projecto … Não sei, logo se vê.

A propósito desse grande projecto …

A técnica e a sua evolução são o resultado de um método “desenhado”por instrutores antes de nós, aqueles a quem chamamos Mestres.

Um dos grandes problemas do dia de hoje tem a ver com o chamado “turismo marcial”, onde as pessoas passeiam de estágio em estágio com a intenção de apanhar algumas técnicas, para as inserirem no seu arsenal técnico.

Aqui é que reside a diferença entre técnica e truques.

Como dizia o GM Ed Parker (Kempo Americano), “Monkey see monkey do”, grande parte dos praticantes, digo praticantes, porque estou a incluir alguns colegas “treinadores”, não conseguem diferenciar o truque da técnica.

Quando vamos a um estágio ou seminário, vamos ver técnicas, vamos aprender novas sequências, ou mesmo conceitos. Quando regressamos aos nossos locais de prática, vamos praticar essas mesmas técnicas, inconscientemente estamos a fazer truques.

Porquê?
Porque não aperfeiçoámos ou aprofundámos essas mesmas técnicas, é simples, não?

Por exemplo…
Se formos a restaurante e comermos como uns javardolas o que poderá acontecer é não termos capacidade para fazer a digestão. Resultado, ou temos uma diarreia ou vomitamos.

Com as artes é a mesma coisa, ao comermos (ver, praticar) temos de digerir (treinar) os alimentos (informação/técnica), com calma ou então temos uma paragem de digestão.

Agora temos a explicação para tanta paragem de digestão nas artes marcias.

Sempre a aprender.